"Porque a vida não é um conto de fadas e sim, um conto de fatos."

Manifesto da liberdade

Estamos acompanhando uma onda de manifestações no mundo inteiro, onde os mais variados povos reivindicam governos mais liberais, transparentes, com participação direta da sociedade ou apenas... Um governo. Talvez para muitos de nós, que estamos do lado de cá do mapa, não seja muito interessante tomar conhecimento do que tem acontecido, mas isso se dá, principalmente, pelo fato de já pertencermos a um Estado laico, por vivermos num país livre e democrático. Um sistema falho, mas DEMOCRÁTICO! Porém, devemos levar em consideração que só somos o que se somos e vivemos da forma que vivemos, por conta dos nossos antecessores, da nossa história, por lá atrás um grupo significativo de pessoas ter sentido a necessidade de engajar a sociedade em assuntos relacionados à administração de um país. Ou alguém se esqueceu do Golpe Militar de 64?
Logo, ao contrário do que tenho ouvido por aí (“e eu com isso?”, “o Brasil já tem um parlamento caótico demais para me preocupar com outros países”), o mínimo que devemos fazer é parabenizar, sim, as iniciativas de protestos.
As manifestações se tornaram capas dos veículos de comunicação mundiais após o clamor de uma parte considerável do Norte da África pela liberdade: o Egito!
Por pouco mais de duas semanas, protestos mostravam a insatisfação da sociedade egípcia com um sistema ditatorial que permeou por três décadas. TRÊS DÉCADAS! E isso foi lindo!
Claro que desconsidero as ações de protestos equivocadas como se jogar em frente de carros, ou colocar fogo no próprio corpo, mas enfatizo sobre o objetivo unânime de lutar por um único interesse. Às vezes, a ansiedade pela liberdade faz com que os seres humanos percam a racionalidade, fazendo do ilógico uma válvula de escape. Ainda sim, não dá para recriminar essa gente.
Infelizmente, várias outras vidas foram comprometidas com a tentativa frustrada de 18 dias de bastante repressão, mas os egípcios conseguiram! Derrubaram o governo de Hosni Mubarak, voltaram a ter esperança e despertaram o mesmo sentimento em várias outras civilizações que, ainda, continuam a se expressar publicamente em prol de mudanças na política nacional.  
Quem vai contestar que manifestar, protestar, reivindicar são atitudes erradas? É mais do que visível [e os acervos históricos comprovam] que é “sob pressão” que as coisas funcionam! E se esse é custo da liberdade, OK. 2012, aí vamos nós!!!


(Segunda publicação da coluna "Coisas para pensar..." do impresso Correio do Sudeste - GO)

5 comentários:

Italo disse...

Esse é o mesmo sentimento que moveu Luke, a se unir com a Aliança Rebelde, na batalha que derrotou o Império!!! Suck THis Vaderr!!!

Italo disse...

Esse foi o mesmo sentimento de LUke, quando se uniu a Aliança Rebelde na batalha que derrotou o Império!!!

Caroline Aleixo disse...

Maninho e sua edadilaicifrepus... kkkk

Rodolfo Machado disse...

Parabens, Carol! Acho que esta no caminho certo para ser tornar uma grande jornalista! Opiniao de quem largou o curso! hahahaha

Bonito texto! Gostei muito!

*Esta tudo sem acento porque nesse teclado aqui nao tem como por.

@gui_arq disse...

Depois do seu texto, me deu vontade de sair protestando... Acho que vou protestar contra a saudade... Ninguem devia ter saudade das pessoas que ama!!! hehehehehe

Followers

About me

Minha foto
"Nunca satisfarei a todos e eu nem quero! Os célebres pensadores sempre foram criticados e nem por isso deixaram de contribuir para a inteligência e conhecimento humanos." (Carol Aleixo)